Brasil é campeão em chamadas de spam na América Latina

  • São 37,5 contatos por usuários ao mês, 81% maior que em 2017, sendo os principais contatos de empresas de telefonia e de cobranças.
  • Em seguida vêm Chile e México, segundo estudo feito pelo app Truecaller em junho.

Difícil não conhecer uma pessoa que não tenha passado por esse tipo de situação. De manhã, na hora do almoço, à noite ou em um fim de semana. Todos nós recebemos uma chamada de um número desconhecido, oferecendo algum tipo de serviço que não solicitamos e – pior ainda – que nem precisamos. Além disso, a curiosidade e o medo de perder algo importante também nos levam a responder a essas chamadas.

Os brasileiros sabem bem disso, pois de acordo com um estudo da Truecaller, aplicativo gratuito que permite detectar e bloquear números indesejados, o Brasil tem a maior média de chamadas spam na América Latina, com 37,5 contatos telefônicos por usuário ao mês, o que equivale a um aumento de 81% em relação a 2017.

Em seguida vêm Chile com 21,9 ligações (25% de aumento), México com 20,9 (71%), Peru com 19,8 (62%) e Costa Rica com 18,5 (330%) – maior elevação, superada apenas pela Guiana (380%), de 1 chamada ao mês para 4,8. Confiram os números abaixo:

O único caso, dentro dos 10 principais países, que registrou queda foi Porto Rico, tendo passado de 7,9 chamadas por usuário para 5,9 (-25%)

Diante desse fenômeno global, Nick Larsson, responsável pela Área de Novos Negócios e Crescimento da Truecaller, empresa situada em Estocolmo, na Suécia, explica que “em alguns casos não é nem mesmo uma pessoa que fala, mas sim uma gravação que lhe oferece diretamente serviços de telefonia móvel, serviços financeiro ou outro tipo de produto. Por isso oferecemos uma alternativa gratuita para bloquear esse problema.”

O aplicativo funciona através de informações fornecidas diretamente pela comunidade de usuários, juntamente com uma tecnologia desenvolvida internamente. A comunidade global de usuários já ultrapassa 300 milhões. No caso da América Latina, os membros já ultrapassam 7 milhões e, diariamente, 350 mil pessoas começam a utilizar a plataforma.

As ligações spam e de golpes estão aumentando globalmente, e a América Latina, graças à rápida incorporação da tecnologia móvel, é um exemplo desse fenômeno: 60% dos usuários de telefones celulares já contam com um smartphone, segundo dados da GSMA Intelligence.

Ao analisar os cinco primeiros países do ranking desenvolvidos pela Truecaller, verifica-se que as empresas de telefonia, juntamente com as de serviços financeiros e cobranças, são as que mais realizam spam por telefone. Chamadas irritantes, em geral, bem como aquelas consideradas golpes, também estão entre as que mais fazem contato.

“Neste ano, foram registradas 37,5 chamadas mensais de spam por usuário no Brasil, ou seja, houve um aumento de 81% de contatos telefônicos indesejados. É mais de uma chamada desse tipo para cada dia do mês, o que pode ser traduzido não apenas como um incômodo, mas também como um fenômeno que pode ter efeitos negativos sobre a produtividade de um funcionário ou ao tempo valioso dedicado à família ou aos amigos e que se intensificou no último ano na região”, explica Larsson.

“Notamos também que as chamadas de spam no Brasil têm uma característica muito particular: uma das ofertas mais frequentes é de operadoras de telefonia. Ironicamente, a segunda causa mais frequente de ligações do tipo é aquela feita por empresas de cobrança, quando os pagamentos estão atrasados e as empresas tentam reaver ou negociar a dívida”, complementa.

A análise desenvolvida pela empresa acrescenta que este assédio por telefone também se repete quando se trata de analisar mensagens de texto: 46% de todos os SMS recebidos pelos brasileiros correspondem a spam.

O Brasil é o país com o maior número de usuários do aplicativo, com 3,1 milhões de membros. Atualmente, a Truecaller está bloqueando 7,5 milhões de telefonemas indesejados e 1,7 milhão de SMS no país por mês.

Entre os serviços não solicitados que mais ligam para os brasileiros estão operadoras de telefonia (33%), empresas de cobranças (24%), chamadas indesejadas genéricas (21%), telemarketing (12%); serviços financeiros (10%) e golpes (1%.)

O ranking latino-americano preparado pela Truecaller coloca o Brasil como o principal país da região, com 37,5 chamadas de spam por usuário no mês; seguido pelo Chile, com 21,9 ligações; o México, com 20,9; Peru, com 19,8; Costa Rica, com 18,5; Colômbia, com 10,4; República Dominicana, com 8,9; Honduras, com 6,8; Porto Rico, com 5.9 e Guayana, com 4.8.

Estes dados confirmam a mesma tendência de 2017, do relatório anual divulgado pela Truecaller no final do ano, em que o Brasil foi classificado como o terceiro país com mais chamadas de spam do mundo, perdendo apenas para a Índia e Estados Unidos.

Em outros países do top 5

No Chile, as empresas de telefonia também ocupam o primeiro lugar (29%), seguidas por chamadas de cobrança (25%) e serviços financeiros (23%). Em seguida aparecem ligações de e-commerce (10%), spams (8%), telemarketing (2%), golpes (2%) e seguros.

No México, os serviços financeiros lideram o ranking (32%), seguidos por telefonemas irritantes (27%), fraudes (19%), políticos (12%), telemarketing (7%) e empresas de telefonia (3%.)

No Peru, as chamadas que mais acontecem: telemarketing (26%), telefonemas indesejados (20%), serviços financeiros (16%), empresas de telefonia (14%), saúde (10%), golpes (10%) e políticas (4%.)

Na Costa Rica os spams são dos serviços financeiros (45%), cobranças (40%), golpes (8%), empresas de telefonia (4%) e chamadas indesejadas genéricas (3%.)

Os dados utilizados neste estudo foram coletados anonimamente por meio de chamadas recebidas que foram marcadas como spam pelos usuários da Truecaller ou foram automaticamente identificadas pelo app, entre 01 a 30 de junho de 2018, para analisar as chamadas médias mensalmente. Durante esse período, os usuários receberam 15 milhões de chamadas de spam em toda a região da América Latina.